2006-03-07

Jesus e as tentações

Aqui fica, com a devida vénia, um excerto do artigo do Padre Anselmo Borges, publicado no último Domingo no DN.
"Jesus foi confrontado com a tentação do poder messiânico da dominação total.
O seu Deus, porém, não é o Deus da omnipotência que escraviza, mas o Deus da força infinita de criação, e ele veio como o Messias do serviço, do poder de dar, da força de amar.
O Inquisidor, cujo encontro com Cristo Ivan conta em Os Irmãos Karamazov, de Dostoievski, viu bem, ao dizer-lhe: Cristo, Tu não transformaste as pedras em pão, Tu não te atiraste do alto do pináculo do Templo de Jerusalém, Tu "não saíste da cruz quando Te gritavam, com troça escarninha: 'Desce da cruz e acreditaremos que és Tu'." Não fizeste os milagres como o Demónio queria nem desceste da cruz porque "não quiseste escravizar o homem ao milagre, porque desejavas a fé livre e não a fé milagrosa.
Desejavas um amor livre e não uma admiração escrava perante a potência que tinha aterrorizado o homem de uma vez por todas."
Jesus Cristo é o Messias da liberdade e da libertação, contra os ídolos do Ter e da Dominação, e a fé cristã é a religação à Liberdade criadora e que perdoa."

1 comentário:

  1. É engraçado como estamos sempre a pedir por liberdade, e ao mesmo tempo sempre a pedir um milagre visivel e espetacular para acreditar-mos nEle!? Ele tem mesmo de ter "paxorra" para nos continuar a amar. E felizmente que tem :-)

    ResponderEliminar