2006-03-20

Mais importante que responder é perguntar

«Em geral, nas igrejas, faz-se pouco apelo à razão, à reflexão crítica, à pergunta.
Como se a fé não tivesse de conviver com a inteligência, com a dúvida e com a pergunta.
Os cristãos - mas isso acontece com todas as religiões - parece que ficam tolhidos na sua capacidade de perguntar.
No entanto, Jesus morreu a rezar esta pergunta infinita que atravessa os séculos: "Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste?" e, perto de nós, M. Heidegger, um dos filósofos mais influentes do século XX, escreveu que "a pergunta é a piedade do pensamento".»
Anselmo Borges, no DN.

4 comentários:

  1. Tem piada Paulo, porque ontem estive quase para colocar este artigo aqui também ;-)
    Acho que o Anselmo põe mesmo o dedo na ferida neste artigo.
    Perguntar, perguntar, perguntar, 70x7 perguntar ;-)
    E que Ele nos ajude sempre a não deixar de perguntar.

    ResponderEliminar
  2. "a pergunta é a piedade do pensamento".» é duma sabedoria fantástica.
    Este artigo dá para pensar e conversar.
    Boa iniciativa Paulo!
    frei

    ResponderEliminar
  3. Hmmm.. acho interessante o post e a questão que fica. Quis Jesus que pensássemos que se sentiu abandonado? Li, não lembro onde, que em tudo Ele quis se identificar connosco, e, como a morte é um momento de solidão extrema pelo qual havemos que passar, também ele e assim o sofreu.
    Gostei do Blogue :)

    ResponderEliminar
  4. Disseram-me que os Judeus tinham o hábito de rezar os salmos de cada dia.
    Daí, quando Jesus diz, na cruz
    "Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste?"
    não está a desesperar nem a duvidar do amor de Deus,
    mas está a REZAR de uma forma típica daquele tempo...

    De qualquer forma, adorei o post, questionar é uma das coisas que diferencia a inteligência da sabedoria...

    ResponderEliminar