2008-11-05

Cristãos do Iraque: entre a espada e a parede (do gueto)

Mesopotâmia em grego quer dizer entre dois rios. É onde vivem os cristãos do Iraque. Neste momento mais do que entre-rios vivem entre uma espada e uma parede. Uma campanha de violência montada contra os cristãos do Iraque tem-se desenvolvido diante da inércia dos governos do país. Os pormenores (com os nomes dos 15 assassinados em Mosul no mês de Outubro) pode ler-se no sítio da Oeuvre d'Orient. No seu editorial o The Tablet refere as suspeitas de que as autoridades são cúmplices nestes ataques. Bagdad e o governo do Kurdistão em Erbil trocam acusações. Erbil acusa os militantes da al-Qaeda, supostamente fiéis a Bagdad. Autoridades da Igreja acreditam que alguns dos ataques em Mosul são apoiados pelo governo curdo como meio de favorecer o seu plano de criar um enclave para os cristãos fora de Mosul perto de Nínive (assim fazendo um tampão entre o Iraque árabe e o Iraque curdo). Um gueto em suma. Havia a proposta de garantir um lugar nos parlamentos regionais para minorias - proposta designada artigo 50. Mas o governo de Bagdad abandonou-a. A constituição favorece a liberdade religiosa mas ao mesmo tempo diz que a lei e o governo tem de estar de acordo com o Islão e as suas práticas.
Se estou em erro alguém me corrija: qual a relevância desta questão nas eleições americanas, nos meios de comunicação ocidentais, ou nas agendas da UE ou da ONU? Obama, para falar do homem do momento (a esta hora 7.34 parece ser o presidente eleito) nada falava sobre os cristãos na secção sobre o Iraque. Falava da crise humanitária... Pena que nada diga do quase meio milhão de cristãos que já abandonaram o país...

Sem comentários:

Publicar um comentário