2007-02-24

NO RESCALDO DO REFERENDO AO ABORTO (III)


Apreciei muito o bem pensado comentário do Hugo no "Rescaldo do referendo -II".
Acho notável o desassombro e coragem que revela em escrever na internet o que pensa e o que acredita pessoalmente como cristão e como homem atento ao que vive, correndo o risco da censura de dentro e de fora da Igreja.
É uma intervenção desafiante! Para mim já resultou!
Espero poder continuar a sua reflexão, pois o pos-referendo é um caminho que pede muito fôlego e persistência, para ajudar quem quer ser pai e mãe, quem quer ter uma sexualidade responsável e quem se vê em situações dramáticas que a sociedade "empurra" para o aborto.
Há a meu ver há uma questão central para nós católicos e que o António Marujo levanta: a doutrina oficial Igreja Católica tem sérios desencontros com a reflexão e prática de católicos que procuram viver a fundo a sua fé e que procuram esclarecer a sua consciência de forma evangélica. Os discernimentos que fazem não cabem no quadro da doutrina oficial da Igreja Católica. Ora isto não é novo na longa História da Igreja. A Hierarquia, tem um lugar essencial, mas não tem o "monopólio" do Espirito Santo. A Igreja é um Povo de Deus, que precisa da prática da fé de todos os fiéis.
Ora nestas questões da vida, do amor e da sexualidade, os católicos encontram-se diante de situações nas quais têm de tomar decisões e ter opções que podem não coincidir com as posições "oficiais" da hierarquia.
Esta a meu ver é uma questão que está subjacente ao que o Hugo aborda . Espero que possa ser continuada neste espaço do Regador.

Sem comentários:

Publicar um comentário